Maré baixa nos faz voltar no tempo de 1868 na Praia de Caieiras, em Guaratuba


A embarcação vapor São Paulo que encalhou na praia de Caieiras no dia 26 de novembro de 1868 com 600 pessoas a bordo, dentre elas, dez médicos, oficiais e escravos, muitos deles feridos, pois a embarcação servia a marinha e voltava da guerra do Paraguai, é possível ver e chegar próximo dos destroços quando da essas marés super baixa.

Segundo Joaquim Mafra, no Livro História de Guaratuba (1952), “era uma tarde de grande nevoeiro, vento sul, quando os moradores da vila foram surpreendidos pelo ruído interminável do apito do Vapor São Paulo, que pelas três horas da tarde acabava de encalhar na praia de Caieiras”.

A embarcação pertencia ao marido da compositora brasileira Chiquinha Gonzaga, Capitão Jacinto Ribeiro do Amaral, o que traz a suspeita que a compositora estaria entre os passageiros do vapor. Dados encontrados nas biografias que narram a vida de Chiquinha, relatam que ela e o filho pequeno foram forçados a acompanhar o marido à guerra, a bordo do vapor São Paulo. (Veja aqui Biografia)

As causas do encalhe ainda são misteriosas. Muitos presumiram que o encalhe do vapor foi proposital, outros, afirmaram que o capitão acreditava estar navegando pela barra procurando abrigo na baía,quando deparou-se com a costa.

Depois do encalhe, alguns passageiros do vapor ficaram alojados em grandes grutas que existem na praia, outros em casas particulares dos moradores da antiga Vila de Guaratuba. Os passageiros permaneceram na vila por alguns dias e depois foram levados para Paranaguá, nos vapores "Marumbi" e "Iguaçu”. Todos utensílios foram retirados do vapor, inclusive, uma mesa medindo 3,90 m de comprimento e 0,75 de largura.

Via: PMG
Compartilhar Google Plus

Nosso Litoral

Nosso litoral é um blog para divulgar as belezas do litoral paranaense, assim como os costumes, gastronomias, pontos turísticos, hotéis, pousadas, restaurantes, contos, lendas, histórias e muito mais!
    E ai, o que achou?
    Comente com o Facebook