Conheça a Ilha das Peças, o berçário dos Golfinhos



Pra você que gosta de aventura e de conhecer novos lugares, então você precisa conhecer a "Ilha das Peças", um paraíso na Baia de Paranaguá, uma ilha vizinha da Ilha do Mel, ela faz parte do "Parque Nacional de Superagüi", sua população é de cerca de 400 pessoas.

Como chegar 
Há barcos diariamente com saída de Paranaguá as 9:30 da manhã e retorno as 17:00 horas da tarde, a passagem custa em média 20 reais, e a viagem dura uma hora e meia, o trajeto passa pelo "Porto de Paranaguá", e a Ilha das Cobras, conhecida como a Ilha do Governador, ainda pelo trajeto é possível avistar vários navios ancorados pela Baia, além de pássaros e golfinhos...

Onde comer
Logo na chegada há um restaurante, mas é preciso reservar o almoço, janta etc:, antecipado, o legal é reservar logo na chegada, um prato com arroz, feijão, batata frita, peixe e salada (Prato Feito), custa 15 reais, podendo ter alteração de preço durante a alta temporada, mas o preço, tanto para moradores, ou turistas, é 15 reais.
História da Ilha
Os primeiros habitantes do território foram os índios tupiniquins. Na época da pirataria, chegaram os europeus: franceses desembarcavam em Superagüi e se refugiavam na Ilha das Peças para aguardar as embarcações que iriam saquear.

O nome de Ilha das Peças teve origem devido ao tráfico de escravos, pois, escravos vindos do Norte eram trazidos para trabalhar no Sul, mas como este comércio era proibido, os navios não podiam chegar até Paranaguá com a “carga” de escravos a mostra, então, as "peças", como os escravos eram chamados naquele tempo, eram deixadas em uma ilha na entrada da Baía de Paranaguá. As ilhas eram lugares estratégicos para os comerciantes, pois ficavam a uma boa distância da cidade, tinham bom lugar para desembarque e os escravos poderiam ser escondidos até que se concluísse a negociação em Paranaguá.

Outra versão afirma que a ilha recebeu o nome porque a ilha era um esconderijo para as peças saqueadas por piratas, mas nenhuma das versões tem registro oficial.

Onde Ficar 
Pousada do Carlinhos, localizada a poucos metros do trapiche e da praia, na pousada há quatro suítes, com um beliche cada, tem TV, VENTILADOR E FRIGOBAR, dois quartos de casal e banheiro coletivo, e mais três quartos com dois beliches cada, e banheiro coletivo, as diárias incluem café da manhã, Para mais informações de preços e reservas,  > 41) 3482-5103 Carlinhos ou Lêca.


O que visitar na ilha
Além dos 16 km de praia com areia branca, tem também um pequeno vilarejo de pescadores que possui belezas naturais indescritíveis, uma boa pedida é conhecer a baía dos golfinhos, o trajeto é feito de barco pelos moradores locais, na baía existe um berçário onde as fêmeas protegem seus filhotes. Na praia, eles ficam bem pertinho da costa, onde é possível tirar belas fotos....

O que fazer a noite
Passear pela praia pode ser uma opção, ver os Plâncton na praia ou no trapiche da ilha, outra, agora, observar as estrelas cadentes riscando o céu da ilha, ai é um show a parte, mas você pode participar nos luau que são feitos a beira mar por moradores da ilha, curtir um som, fazer novas amizades e conhecer um pouquinho dos costumes da ilha.


Então é isso, agora que você já sabe onde fica e como chegar neste paraíso, não perca tempo, coloque já no seu roteiro de passeio esta opção!!!
Compartilhar Google Plus

Nosso Litoral

Nosso litoral é um blog para divulgar as belezas do litoral paranaense, assim como os costumes, gastronomias, pontos turísticos, hotéis, pousadas, restaurantes, contos, lendas, histórias e muito mais!
    E ai, o que achou?
    Comente com o Facebook